Sensores alemães portáteis medirão a qualidade ambiental em São Paulo

Estação meteorológica do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP

No momento em que a preocupação com o meio ambiente e a qualidade de vida volta a fazer parte da agenda dos diversos setores sociais, principalmente no contexto da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e do Acordo de Paris, toda iniciativa que permite ao cidadão ter acesso às informações sobre o ambiente onde vive, estuda e trabalha é sempre bem-vinda.

Uma dessas iniciativas, vinda diretamente da Alemanha, é o SenseBox, que consiste em um kit de sensores fixos e móveis instalados dentro de pequenas caixas de cor verde que se transformam em verdadeiras miniestações de medição de dados ambientais, como luz, clima, densidade do tráfego e poluição sonora.

O anúncio da instalação em São Paulo de 10 kits de SenseBox, projeto desenvolvido por pesquisadores do Instituto de Geoinformática da Universidade de Münster (WWU Münster), instituição membro do Centro Alemão de Ciência e Inovação de São Paulo (DWIH-SP), será feito no próximo dia 7 de outubro, durante o evento DWIH-SP de Portas Abertas, que integra as atividades da Jornada Alemã “Breaking the Walls”, organizada pelo Consulado Geral da Alemanha.

O tamanho, o baixo custo e a relativa simplicidade dessas miniestações permitem que sejam espalhadas de maneira mais dispersa que as estações meteorológicas tradicionais. Assim, uma rede a partir de SenseBoxes consegue reunir dados climáticos de uma área mais abrangente, mapeando a situação ambiental de forma mais detalhada, refletindo características específicas do local em que estão instaladas.

O sucesso do SenseBox, coordenado pelos pesquisadores Angela Schwering e Thomas Bartoschek, da WWU, já pode ser mensurado tanto pelo financiamento de cerca de um milhão de euros que o projeto recebeu do Ministério da Educação e Pesquisa da Alemanha (BMBF) para os próximos três anos, no escopo do programa Photonics Research Germany, como pelos prêmios conquistados em 2015, na competição Citizens create the City of the Future, e neste ano, com o CodeWeekAward.

Para Marcio Weichert, coordenador do DWIH-SP, a instalação de 10 kits de SenseBox na capital paulista pode ser um grande passo para o engajamento dos cidadãos em temas relacionados ao meio ambiente e diretamente ligados à qualidade de vida. “Esperamos com este projeto dar uma contribuição à conscientização das pessoas em São Paulo sobre a qualidade de seu habitat, sobre a necessidade de levar o combate à poluição a sério. Ainda é, na verdade, um projeto de P&D, mas que tem tudo para tornar viável que cada cidadão tenha sua própria estação de medição de poluição, assim como hoje é possível cada um ter uma pequena estação meteorológica.”

Os resultados iniciais das medições do SenseBox serão apresentados durante o 5º Diálogo Brasil-Alemanha de Ciência, Pesquisa e Inovação, nos dias 29 e 30 de novembro, cujo tema central será The City of Tomorrow – Tackling Urban Challenges and Opportunities.

Tags: 

Membros