Ranking Humboldt elenca as universidades preferidas de pesquisadores estrangeiros na Alemanha

Biblioteca de Filosofia da Freie Universität Berlin

As universidades de Berlim e Munique, primeira e terceira maiores cidades do país, estão entre as preferidas dos pesquisadores estrangeiros na Alemanha. Faculdades de cidades menores, como Bonn e Göttingen, também são bastante requisitadas. O resultado foi publicado no ranking Humboldt, que analisa a trajetória de cientistas que ganharam financiamento da Fundação Alexander von Humboldt nos últimos cinco anos para pesquisar na Alemanha.

As primeiras posições da lista são da Freie Universitat e Humboldt Universität, ambas em Berlim; seguidas por Ludwig-Maximilians-Universität e Universidade Técnica de Munique. Entre as quinta e décima colocações estão as universidades de Bonn, Göttingen, Universidade Técnica de Berlin, Heidelberg, Bayreuth e Aachen. 

A Universidade de Potsdam foi a que mais avançou no ranking em relação a última edição, de 2014. Saltou da 17˚ para 11˚ posição, seguida por Colônia ( da 18˚ para 13˚) e Bochum (21˚ para 14˚). 

“O ranking Humboldt é um bom indicador para internacionalização, e isso não depende do tamanho da universidade”, afirma Helmut Schwarz, presidente da Fundação. “Entre as preferidas e com grande visibilidade internacional não estão apenas as universidades localizadas nas grandes metrópoles, ou as ganhadoras da Iniciativa de Excelência. Também universidades como as de Bonn ou Bayreuth são internacionalmente reconhecidas e bem conectadas e, portanto, cobiçadas. Essa variedade em termos de localização é um dos pontos fortes da Alemanha na competitividade internacional”, analisa Schwarz. 

Para a construção do ranking, foi analisada a extensão de estadias de pesquisadores internacionais que ganharam bolsa ou prêmio da Fundação Alexander von Humboldt nos últimos cinco anos. Para evitar desvios estatísticos provocados pelo tamanho das universidades, a análise considerou a estadia em relação ao número de professores das respectivas faculdades.

 

 

 

Membros