Alemanha - Universidades

Pesquisa faz parte da essência das 395 instituições de ensino superior alemãs, sobretudo nas mais de 110 universidades e universidades técnicas (TU), mas também nas mais de 220 universidades de ciências aplicadas (Fachhochschulen ou apenas Hochschulen) e nas dezenas de escolas superiores de música, artes, design, cinema, etc., bem como de teologia, pedagogia e administração pública.

O país conta com cerca de 2,8 milhões de estudantes de ensino superior. Deste total, mais de 340 mil (cerca de 12,3%) são de outros países. Atualmente, aproximadamente 5 mil estrangeiros estão matriculados em doutorado e mais de 40 mil acadêmicos de outros países trabalham nas universidades alemãs. Isso faz da Alemanha, no cenário internacional, um dos países mais atraentes para pesquisadores e estudantes de fora.

A maior parte dos institutos de ensino superior da Alemanha é pública, mantida pelos estados. Quase 90% dos estudantes universitários alemães estão matriculados nestas instituições. As instituições privadas, que são aprovadas e reconhecidas pelo governo, são, em sua maioria, faculdades de ciências aplicadas.

Desde as primeiras universidades fundadas no séc. XV, a Alemanha tem mostrado uma longa tradição em excelência acadêmica. Wilhelm von Humboldt (1767-1835) reformulou o sistema de educação superior e estabeleceu a união entre pesquisa e ensino nas universidades alemãs. O resultado foi a criação de universidades que não somente ensinam, mas também realizam pesquisa básica e aplicada. Nas décadas de 1960 e 1970, o sistema foi ampliado, sobretudo com Fachhochschulen, facilitando o acesso ao ensino superior e atendendo a uma demanda do mercado de trabalho. Além disso, os estudantes passaram a ter maior liberdade na definição das disciplinas que desejam estudar.

Outro marco no sistema de ensino superior alemão foi a Declaração de Bolonha assinada, em junho de 1999, por todos os países integrantes da União Europeia. Conhecida também como Processo de Bolonha, ela resultou na mais profunda reforma implantada no sistema educacional superior alemão nas últimas décadas. Entre os seus objetivos estão obter o reconhecimento internacional dos níveis de ensino ministrados nas universidades alemãs (graduação, pós-graduação, doutorado, etc.), melhorar a qualidade dos cursos e reforçar a empregabilidade dos formandos. 

Passados mais de dez anos desde a implantação do Processo de Bolonha observa-se na Alemanha um aumento no número de estudantes no ensino superior e na sua mobilidade internacional. A atratividade das instituições alemãs de ensino superior para estudantes e pesquisadores estrangeiros também se fortaleceu no período. De acordo com os números mais recentes do Ministério da Educação e Pesquisa da Alemanha, em 2015, o país contabilizou 140 mil estudantes alemães no exterior, quase o triplo do registrado no início do processo, em 1999. Já o número de estudantes estrangeiros praticamente dobrou no mesmo período chegando aos atuais 300 mil.
 

Mais informações: Study in Germany e DAAD

Conferência dos Reitores

A Conferência dos Reitores da Alemanha (Hochschulrektorenkonferenz, HRK) é a associação que representa a voz pública e política das instituições de ensino superior alemãs, além de discutir e formular diretrizes e práticas conjuntas para as instituições de ensino superior do país. Atualmente, a conferência tem 268 instituições-membro, nas quais estão matriculados 94% de todos os estudantes universitários da Alemanha. 

Mais informações: Higher Education Institution's Compass

Iniciativa pela Excelência

Em 2005, os governos da Alemanha - federal e estaduais - anunciaram o programa “Iniciativa pela Excelência”, que fornece suporte adicional às atividades de pesquisa em diversas áreas do conhecimento em universidades alemãs. De 2006 a 2017, um total de 4,6 bilhões de euros está sendo investido no desenvolvimento de estruturas de pesquisa, bem como em pesquisas de alto nível, fazendo da Alemanha um país mais atraente para pesquisadores, mais competitivo internacionalmente. 

Mais informações: The Excellence Initiative

Membros